$ {alt}
Por Chris Ramirez, Tom Szymanski, Allan Stone

Líderes de saúde da UNM se concentram nos desafios e necessidades da força de trabalho com o senador Ben Ray Luján

Em uma prefeitura, líderes de saúde e ciências da saúde da Universidade do Novo México e de todo o estado forneceram respostas ao senador Ben Ray Luján, (D) Novo México, sobre as causas e possíveis soluções para os desafios do Novo México no crescimento e manutenção de uma força de trabalho vibrante na área da saúde. Eles compartilharam maneiras de melhorar as parcerias federais que poderiam ajudar, inclusive trazendo mais recursos para o Novo México para servir como uma incubadora para novas inovações.

desafios da força de trabalho-a.jpgA prefeitura fez parte da série de discussões comunitárias de Luján em todo o estado, ouvindo as perspectivas de diferentes partes interessadas sobre questões de saúde. Nesta prefeitura, organizada pela Albuquerque Health Care for the Homeless, Doug Ziedonis, MD, MPH, CEO do Sistema de Saúde da UNM e Vice-Presidente Executivo da UNM Health Sciences, juntou-se a Sanjeev Arora, MD, fundador e diretor do Projeto ECHO da UNM; Angela Ramirez, vice-chefe de gabinete do secretário de Saúde e Serviços Humanos dos EUA, Xavier Becerra; Gloria Doherty, PhD, PPA, MSN, RN, Enfermeira Especialista em Adultos, ACNO-BC, FAANP, Associação de Enfermeiras do Novo México; Andres Gensini, MD, FAAFP, vice-presidente de assuntos clínicos da Presbyterian Medical Services; e Troy Clark, presidente/CEO da Associação Hospitalar do Novo México.  

Luján iniciou a discussão explicando que as questões de saúde são questões pessoais, lembrando ao público um derrame que sofreu há um ano e meio, onde recebeu atendimento no Hospital UNM. 

“Enquanto estive no Hospital UNM recebendo um atendimento excelente, fiz amizade com as enfermeiras, os médicos e as equipes que cuidavam de mim”, disse Luján. “Se você realmente quer saber o que está acontecendo lá dentro, fale com a pessoa que limpa o prédio!”

Expressando a sua sinceridade e gratidão a todos os profissionais de saúde, Luján abriu a discussão para ouvir sobre os desafios da força de trabalho na área da saúde no Novo México. Doherty explicou que nosso estado precisa de mais de 5,000 enfermeiras para suprir a escassez em todos os condados. Troy afirmou que os hospitais urbanos estão com excesso de capacidade e os hospitais rurais estão com capacidade insuficiente porque os hospitais rurais não possuem linhas de serviços básicos, forçando os hospitais menores a enviar pacientes para Albuquerque.

“Temos uma crise na força de trabalho na área da saúde”, afirmou Ramirez. 

Projeto ECHO, uma organização sem fins lucrativos, tem trabalhado para resolver a escassez de especialistas através do seu modelo de mentoria virtual, ajudando os profissionais de saúde da linha da frente a aprender e a manter-se atualizados, com as melhores práticas de cuidados, onde quer que vivam.

desafios da força de trabalho-b.jpg

“Nossa visão é que todos os profissionais de saúde tenham orientação contínua ao longo de sua vida. Com a rápida evolução e crescimento da base de conhecimentos sobre cuidados de saúde, é cada vez mais difícil para os prestadores de cuidados de saúde acompanharem, especialmente aqueles que servem os menos favorecidos, o que aumenta as disparidades na saúde”, disse Arora. “Desde 2003, o ECHO tem tido um impacto positivo nas áreas da saúde mental pediátrica, diabetes, autismo e muitas outras. "

Ziedonis explicou que muitos graduados em ciências da saúde da UNM permanecem no Novo México e são a maioria da força de trabalho de saúde do nosso estado, citando estatísticas recentes que mostram que cerca de 50 por cento dos médicos graduados da UNM atuam no Novo México, 70 por cento dos graduados da Faculdade de Enfermagem permanecem no estado, 80% dos graduados em farmácia atuam no estado e cerca de 90% dos graduados em profissões da saúde permanecem no Novo México.  

Ele afirmou: “nós desenvolvemos nossos próprios programas de Pathways tremendos começando nas escolas primárias. Queremos equidade na nossa força de trabalho, bem como capacidade e resiliência.”

Ziedonis explicou a missão da UNM de melhorar a saúde e a equidade na saúde em todas as áreas de missão. Os exemplos que partilhou incluem como a formação de telementoria do Projecto ECHO para a força de trabalho da saúde do nosso estado está a divulgar as mais recentes abordagens de cuidados de saúde através de discussões de casos, o que está a salvar vidas. Ziedonis citou o Gabinete de Saúde Comunitária da UNM, que criou um modelo nacional de melhores práticas, os Escritórios Rurais de Extensão de Saúde (HEROs), que apoiam a mudança do sistema e integram profissionais de saúde comunitários em todos os condados do Novo México. Os agentes comunitários de saúde estão a trabalhar nas comunidades locais para ajudar os residentes a estabelecer ligação com os serviços sociais, os cuidados de saúde e muitos outros serviços necessários para resolver as barreiras que os impedem de aceder aos cuidados de saúde. Além disso, disse a Luján e ao painel que os fornecedores, professores, funcionários e pesquisadores da UNM são de classe mundial e têm enorme dedicação às suas missões. Ele explicou como são as melhores práticas da UNM para ampliar os programas no Novo México e nacionalmente, mas precisamos de mais colaboração e apoio do Congresso e da administração Biden para ajudar. 

“Precisamos de uma estratégia de saúde pública. Precisamos de uma estratégia de equidade na saúde. Precisamos nos concentrar nos determinantes sociais dos eventos adversos à saúde na infância”, disse Ziedonis a Luján. “Como vamos ajudar uma ampla gama de pessoas a resolver esses problemas?”   

Algumas ideias apresentadas por Ziedonis incluem:

  • Expandir os esforços para criar mais banda larga para que os sistemas de saúde possam oferecer mais opções de telessaúde, teleconsulta e telementoria.
  • Criar mais programas de perdão de empréstimos para educação, especialmente para prestadores rurais e tribais, para incentivar o trabalho nestes locais. Isto também permitiria que os prestadores se concentrassem nos seus pacientes sem se preocuparem com dívidas paralisantes.
  • Ajudar os hospitais públicos e académicos a compensar os profissionais de saúde com salários competitivos aos dos hospitais privados ou com fins lucrativos.
  • Fornecer recursos aos Serviços de Saúde Indianos (IHS) para apoiar estagiários de Pós-Graduação em Educação Médica (residentes/bolsistas) e outros estagiários de profissionais de saúde semelhantes ao Sistema de Saúde VA. Isso permitiria que os estagiários aprendessem nas comunidades IHS e nativas americanas e os encorajaria a fazer carreira servindo essas populações.
  • Auxiliar a remuneração das universidades para professores e pesquisadores de ciências da saúde. Com o aumento do corpo docente, a UNM poderia aumentar todas as unidades acadêmicas de ciências da saúde, permitindo-nos aceitar, educar e treinar um maior número de profissionais de saúde. A assistência em matéria de compensação também ajudaria os esforços para recrutar e reter os melhores e mais brilhantes.
  • Apoie um esforço nacional para aumentar o corpo docente clínico e os preceptores usando a plataforma do Projeto ECHO e estipêndio de apoio para aumentar nossa capacidade de corpo docente e adicionar mais estudantes em mais estágios clínicos.  
  • Reexamine os reembolsos do Medicaid e do Medicare para ajudar os hospitais a equilibrar os orçamentos. Troy afirmou que 67 dos hospitais do Novo México têm orçamentos desequilibrados. Além disso, Ziedonis afirmou que 43 por cento dos novos mexicanos estão no Medicaid e mais da metade usa o Medicare. 

“Vamos concretizar isso, vamos desenvolver isso”, afirmou Luján. “Se estiver aqui, como podemos avançar? As melhores ideias legislativas surgem de conversas com as pessoas neste momento, seja numa mesa redonda como a de hoje ou numa mercearia. Procurarei incorporar (essas ideias) na legislação existente ou criar algo novo e defendê-lo em agências como Saúde e Serviços Humanos.”

Após o painel de discussão, Ziedonis e os outros líderes do setor de saúde expressaram gratidão pelo envolvimento de Luján e de outros representantes federais.

“Estou entusiasmado por estarmos aqui trabalhando juntos porque acho que é a única maneira de resolver isso”, disse Ziedonis.

Categorias: Envolvimento da Comunidade, ECHO, Notícias que você pode usar, Melhores histórias, Hospital UNM