O banner é Fitz Hall, a miniatura é Danielle Rivera e Sally Midani
Por Michael Haederle

Candidatos Colegiais

Estudantes de medicina da UNM eleitos para a liderança da seção de estudantes de medicina da AMA

Dois alunos do quarto ano in Escola de Medicina da Universidade do Novo México foram eleitos para cargos de liderança sênior na Seção de Estudantes de Medicina do Associação Médica Americana.

A partir deste outono, Danielle Rivera atuará como vice-presidente e Sally Midani se tornará palestrante do Conselho de Administração da Seção de Estudantes de Medicina para 2021-2022. Os dois, ambos nativos de Albuquerque, estão ativos na organização há vários anos, ajudando uns aos outros na elaboração de declarações de políticas e na resolução de questões que ressoam com seus pares.

Cada um traz um conjunto único de experiências para o trabalho.

Danielle Rivera (esquerda) e Sally Midani (direita)
Danielle Rivera (esquerda) e Sally Midani (direita)

 

Rivera, que se formou na St. Edward's University em Austin, Texas, ensinou inglês no Laos com uma bolsa Fulbright antes de iniciar a faculdade de medicina, onde se tornou ativa no grupo de alunos da AMA durante seu segundo ano.

Ela escreveu três resoluções que foram aprovadas pelo Câmara dos Delegados da AMA. Um deles dizia respeito à síndrome COVID de longa distância, outro apelava ao redesenho dos equipamentos de proteção individual (EPI) para que se adaptassem a mais tipos de corpo e formas de rosto e o terceiro exorta o governo federal a manter melhor os estoques de EPI.

Midani, cujos pais emigraram da Síria para os Estados Unidos antes de ela nascer, concorreu para o Senado de Estudantes UNM quando ela estava matriculada no Programa Combinado de Graduação BA / MD e, eventualmente, serviu como vice-presidente da organização.

“A função de palestrante na Seção de Estudantes de Medicina é muito semelhante à função de vice-presidente no Campus Principal da UNM”, diz ela. “Gosto muito da ideia de ser um anfitrião hospitaleiro para todas essas pessoas que vêm com grandes ideias. Nenhuma ideia é muito bizarra e todos são recebidos com respeito, não importa de onde vêm ou qual é sua origem. ”

No início deste ano, Midani elaborou um política proposta que foi adotado pela Câmara dos Delegados afirmando o direito do público de protestar pacificamente e apoiando as proibições do uso de balas de borracha e gás lacrimogêneo pelas autoridades policiais no controle de multidões.

Midani foi motivada em parte por sua consciência da opressão que deflagrou a guerra civil na Síria. “Eu realmente queria defender as pessoas que estavam exercendo seu direito à liberdade de expressão”, diz ela.

“A AMA é um dos maiores grupos de lobistas do país”, diz Rivera. “Há muito poder nisso para empurrar nossos representantes e senadores.”

Categorias: Saúde, Faculdade de Medicina, Melhores histórias