$ {alt}
Por Elizabeth Dwyer Sandlin

Departamento de Psiquiatria da UNM faz parceria com SE-COMISCA para ampliar serviços de saúde comportamental em toda a América Latina

Numa colaboração sem paralelo, o Departamento de Psiquiatria da Universidade do Novo México (UNM) e a SE-COMISCA (SICA) uniram forças para fornecer serviços essenciais de cuidados de saúde comportamental e formação a oito países membros da região latino-americana. O programa inovador visa colmatar a lacuna nos serviços de saúde mental e na partilha de conhecimentos, melhorando significativamente a vida individual e fortalecendo as comunidades em toda a América Central.

A SE-COMISCA, uma organização internacional dedicada à integração regional na América Central, fez parceria com a UNM para reforçar a capacidade dos profissionais de saúde, facilitar os serviços de telessaúde e, em última análise, melhorar o acesso aos cuidados de saúde mental na região.

René Santos, figura-chave da SE-COMISCA, afirma: “Existem oito países membros que participam do SICA, e desenvolvendo nosso planos e programas de saúde mental são uma grande prioridade para todos os países membros.”

Esta colaboração única entre a UNM e a SE-COMISCA contribui para desestigmatizar as questões de saúde mental e reforçar o acesso aos cuidados em países como Guatemala, El Salvador, Honduras e outros. 

 

Tem muito do estigma em torno de questões de saúde mental na América Latina – TEPT, depressão, ideação suicida. Nosso objetivo é ajudar a conscientizar e eliminar o estigma, para que os profissionais de saúde saibam o que procurar e os pacientes estejam abertos para receber cuidados.
- José Canacá, MD UNM Psiquiatria e Ciências do Comportamento

O Dr. José Canaca, um dos principais especialistas do Departamento de Psiquiatria da UNM, enfatiza a importância desta parceria, afirmando: “Há muito do estigma em torno de questões de saúde mental na América Latina – TEPT, depressão, ideação suicida… Nosso objetivo é ajudar a criar consciência e se livrar do estigma, para que os profissionais de saúde saibam o que procurar e os pacientes estejam abertos para receber cuidados.”

Dr. Mauricio Tohen, Presidente do Departamento de Psiquiatria da UNM, elaborou mais detalhadamente a importância do programa. “O Novo México é um estado muito rural, e o que aprendemos aqui sobre como trabalhar com comunidades rurais pode ser facilmente extrapolado para a América Latina.”

A parceria exemplifica a universalidade dos desafios na prestação de serviços adequados. Ao estabelecer parceria com a SE-COMISCA, a UNM pretende estabelecer uma estrutura que ultrapasse as fronteiras geográficas e permita o acesso a conhecimentos especializados e apoio que anteriormente eram limitados.

“A saúde mental é uma preocupação global”, diz o Dr. Canaca. “Nos países em desenvolvimento, apenas 2% dos orçamentos de saúde vão para a saúde mental, e isso é apenas para tratamento hospitalar. Não há nada fora do atendimento hospitalar – nem ambulatorial ou mesmo prevenção.”

Uma das principais características do programa é a formação de prestadores de cuidados de saúde rurais em competências básicas de cuidados de saúde mental. Esses profissionais de saúde recebem treinamento e recursos inestimáveis, permitindo-lhes identificar, compreender e tratar melhor indivíduos que enfrentam problemas de saúde mental. Esta formação tem efeitos de longo alcance, uma vez que muitas destas regiões não têm acesso a prestadores de cuidados de saúde mental e, se algum tratamento ou serviço estiver disponível, é exclusivamente através dos seus prestadores de cuidados primários.

Além disso, a colaboração inclui o fornecimento de telementoria em parceria com o Projecto Echo da UNM, um modelo de telementoria concebido para melhorar o acesso aos cuidados de saúde em áreas remotas e mal servidas. O Dr. Santos partilha a sua opinião sobre esta componente da parceria: “Queremos alcançar pessoas em áreas remotas que de outra forma não teriam acesso a informações e serviços de saúde mental. A tecnologia Telementory conecta médicos locais com especialistas, independentemente de sua localização, garantindo atendimento de qualidade aos pacientes.” 

Dr. Tohen sublinha os benefícios mútuos desta colaboração, afirmando: "Compartilhar conhecimento e soluções pode ir em ambos os sentidos e melhorar todas as nossas comunidades. O desafios e conhecimento não estão apenas viajando de norte a sul – as experiências de aprendizagem adquiridas no trabalho com estes países também contribuirão para o avanço dos cuidados de saúde mental no Novo México e nos Estados Unidos." 

A parceria UNM-SICA pretende ser um farol de esperança para os países da América Central, transformando a acessibilidade e a qualidade dos cuidados de saúde mental. Esta colaboração inovadora sublinha a importância da cooperação internacional na abordagem dos desafios globais de saúde e reafirma a ideia de que a partilha de conhecimentos e soluções pode elevar as comunidades de ambos os lados da parceria. 

À medida que o programa ganha impulso, promete ser um modelo de colaboração internacional no domínio da saúde mental, oferecendo esperança a regiões que há muito lutam com serviços de saúde mental insuficientes.

“O nível de satisfação que observamos entre pacientes e profissionais de saúde é realmente alto”, afirma o Dr. Santos. “Estamos caminhando na direção certa e precisamos continuar. Há uma necessidade real de ajudar as pessoas nas nossas comunidades – para melhorar a capacidade dos nossos prestadores de serviços para prestar os cuidados de que a nossa população necessita.”

Categorias: Diversidade, Faculdade de Medicina, Melhores histórias