Biografia

Lewis recebeu seu Ph.D. em Farmacologia pela Universidade de Manitoba (CA) em 1989 e fez uma bolsa de pós-doutorado no Lovelace Inhalation Toxicology Research Institute (ITRI) antes de trabalhar como consultor em avaliação de risco para o Departamento de Projeto Piloto de Isolamento de Resíduos de Energia e o Remediador de Rejeitos de Usina de Urânio Ação do programa Água Subterrânea e liderando o Projeto Canyons avaliando os impactos dos contaminantes do Laboratório Nacional de Los Alamos. Depois de iniciar sua própria empresa de consultoria, Environmental Health Associates, Inc. em 1996, ela também aceitou um cargo de professor de meio período na UNM-HSC em 1996 para construir o Programa de Saúde Ambiental Comunitária (CEHP), onde construiu suas parcerias com as comunidades Navajo e o Accord Pueblos para desenvolver um programa de pesquisa em parceria com a comunidade abordando os impactos dos contaminantes da Guerra Fria em comunidades indígenas. Mantendo seu trabalho de ciência básica de laboratório em paralelo com a pesquisa da comunidade, ela desenvolveu o CEHP como o lar do Centro de Pesquisa e Treinamento do METALS Superfund apoiado pelo NIEHS, que ela lidera; o Centro de Equidade de Pesquisa em Saúde Ambiental Nativa, apoiado pelo NIMHD, do qual ela é MPI; e o NIH-OD Navajo Birth Cohort Study/Environmental influences on Child Health Outcomes (NBCS/ECHO) para o qual ela também é MPI como parte do estudo nacional sobre desenvolvimento infantil. Toda a pesquisa do CEHP continua comprometida com fortes parcerias com as comunidades.

Declaração pessoal

Minha vida adulta tem sido continuamente um equilíbrio entre interesses em construir comunidades fortes e ambientes sustentáveis ​​e um amor pela ciência como uma ferramenta que pode ajudar a alcançar esse objetivo. Depois de retornar aos Estados Unidos em 1989, trabalhar em fortes equipes de pesquisa multidisciplinares no ITRI criou uma base sólida para ajudar a lidar com ameaças ao nosso ambiente, bem como uma apreciação pela ciência de equipe como uma abordagem eficaz para responder a questões complexas enfrentadas pelas comunidades que nenhuma perspectiva individual pode resolver. A oportunidade de trabalhar de perto com as comunidades indígenas criou um reconhecimento não apenas da complexidade dos problemas colocados pelos resíduos complexos de todos os níveis do desenvolvimento da bomba atômica e da subsequente era da Guerra Fria, mas também dos confrontos culturais inerentes à tentativa de resolver esses problemas. Construir e manter diversas parcerias que incluem comunidades afetadas, uma ampla gama de cientistas, reguladores, médicos e formuladores de políticas continua sendo um desafio, mas provavelmente o caminho mais forte para desvendar e ajudar a reduzir os riscos multigeracionais que permanecem como ameaças à cultura e tradição indígenas, e ao nosso ambiente. Da mesma forma, a oportunidade de trabalhar em equipes multidisciplinares e multiculturais fortes e apaixonadas oferece oportunidades de aprendizado contínuo, valorização e respeito pelas diferenças que nos sustentam e a geração de novas soluções. Não consigo imaginar um papel melhor para a ciência.

Áreas de especialidade

Toxicologia
Toxicologia da Mistura de Metais
Saúde da comunidade
Saúde Ambiental Indígena
Avaliação de exposição
Saúde Ambiental Infantil
Sustentabilidade
Pesquisa em parceria com a comunidade

Educação

Doutorado, Universidade de Manitoba, 1989 (Farmacologia)

Certificações

2003-2013. Diplomatas, Conselho Americano de Toxicologia (não renovou a certificação pendente de planos para se aposentar)

Conquistas e prêmios

Prêmio de Comunicação Pública da Ciência da Sociedade de Toxicologia 2020
Prêmio Anual de Excelência Ambiental da Navajo Nation EPA 2018
2012 Apreciação pelo Serviço, Diligência e Dedicação à Pesquisa sobre os Efeitos do Urânio na Saúde da Nação Navajo dos Cidadãos da Comunidade da Estrada da Lagoa de Água Vermelha
Prêmio de Excelência em Pesquisa da Faculdade 2011 para Pesquisa Populacional, UNM-HSC
2008-2011 Nomeação para Blue Ribbon Panel, NIH-OD, para assessorar o Diretor na Avaliação de Risco do Laboratório Nacional de Doenças Infecciosas Emergentes
2008-2009. Nomeação para um painel de 10 membros para revisar e aconselhar sobre desempenho e direções futuras, Programa de Pesquisa Básica do Superfund
2004. Prêmio Griff Salisbury para Proteção Ambiental através de Mudança Regulatória, New Mexico Environmental Law Center
2004-2007 Nomeação para Albuquerque/Bernalillo County Air Quality Control Board, Albuquerque, NM

2017-presente Diretor, METALS Superfund Research and Training Center
2010-presente. Diretor e MPI, Estudo de Coorte de Nascimento Navajo/ECHO
2014-presente. Diretor e MPI, Centro de Equidade de Pesquisa em Saúde Ambiental Nativa
1996-presente. Fundador e Diretor, Programa de Saúde Ambiental Comunitária

Pesquisa e bolsa de estudos

Lewis, J., Hoover, J., MacKenzie, D. Mineração e disparidades de saúde ambiental em comunidades nativas americanas. Revisão convidada para relatórios atuais de saúde ambiental, ética e política, Springer (2017) 4:130-141 PMC5428369

Lewis, J., Gonzales, M., Burnette, C., Benally, M., Seanez, P., Shuey, C., Nez, H., Nez, C., Nez, S. Exposições ambientais a metais em nativos Comunidades e Implicações para o Desenvolvimento Infantil: Base para o Estudo da Coorte de Nascimentos Navajo. Revisão convidada para o Journal of Social Work in Disability and Rehabilitation. PMID: 26151586

Hund, L., Bedrick, EJ, Miller, C., Huerta, G., Nez, T., Ramone, S., Shuey, C., Cajero, M. E Lewis, J. Uma estrutura Bayesiana para estimar o risco de doença devido à exposição à mina de urânio e resíduos de moinhos na Nação Navajo. Journal of the Royal Statistical Society: Série A (Estatística e Sociedade), 01/2015. DOI:10.1111/Rosa.12099.

Malczewska-Toth, B., Myers, O., Shuey, C., and Lewis, JL. Recomendações para um Padrão de Água Subterrânea Baseado em Saúde de Urânio. Reporte ao Departamento de Meio Ambiente de NM (Santa Fe, NM). Lewis defendeu a recomendação posterior à Comissão Estadual de Controle de Qualidade da Água que rebaixaria o padrão em 3 ordens de grandeza no caso de contestação da Suprema Corte estadual, resultando na primeira codificação do uso do Princípio da Precaução na promulgação de padrões no estado.