Declaração pessoal

O foco da minha pesquisa tem sido: (1) caracterizar os aspectos funcionais da EspP na indução de macropinocitose da toxina Shiga e (2) determinar os mecanismos pelos quais o cólon pode se regenerar após a lesão. Do meu trabalho de pós-doutorado no laboratório da Dra. Olga Kovbasnjuk, venho trabalhando para determinar os efeitos fisiopatológicos da interação enterohemorrágica da E. coli (EHEC) com enterócitos humanos.

Utilizando um modelo celular in vitro e um modelo murino in vivo, caracterizei inicialmente uma proteína EHEC, a serina protease bacteriana, EspP, como essencial na patogenicidade desta infecção. Além disso, recebi treinamento no laboratório do Dr. Hugo de Jonge na Universidade Erasmus (Rotterdam, NL) para estabelecer culturas organoides intestinais e colônicas humanas, não cancerosas, ex vivo derivadas de células-tronco adultas.

Recentemente, eu os validei como um modelo funcional de fisiologia intestinal humana normal e fisiopatologia infecciosa. Dados preliminares obtidos dos estudos EHEC e/ou usando enteróides foram fundamentais para a obtenção de várias bolsas no ano passado (incluindo uma bolsa U18/UH3, U01, R24 e Gates Foundation; co-PIs: Donowitz, Kovbasnjuk, outros), incluindo um K01 (PI: In).

Com base em minha experiência em pesquisa com ferramentas moleculares e de imagem e em nossos novos e emocionantes dados preliminares obtidos sobre organoides colônicos humanos, tenho as habilidades técnicas únicas e um histórico abrangente para ter sucesso nesses estudos propostos. Recentemente, desenvolvi um protocolo técnico para usar a edição de genes CRISPR/Cas9 para criar culturas organoides humanas estáveis.

Usando essa técnica, comecei a questionar o papel de genes específicos relacionados a células-tronco na regeneração do cólon e no início do câncer colorretal. Com base em nossos novos e emocionantes dados preliminares obtidos nos organoides humanos editados pelo CRISPR, acredito que estou em uma posição única para ajudar a alcançar os objetivos propostos neste pedido.