Biografia

O Dr. Buranda recebeu um bacharelado em Química e Física pela Augustana College, Rock Island IL (1984), um mestrado em Química pela Universidade de Toledo, OH (1987) e um doutorado em Química pela Wayne State University, MI (1992). Após seu doutorado, ele completou uma bolsa de pós-doutorado no NSF Center for Photoduced Charge Transfer na University of Rochester, NY.

Declaração pessoal

Sou formalmente treinado em físico-química experimental, especializando-me em espectroscopia de laser óptico e vibracional e medindo processos rápidos de transferência de elétrons e energia em complexos moleculares. Adquiri experiência em biologia celular por meio de um Prêmio de Desenvolvimento de Pesquisa Quantitativa Mentorado (K25) financiado pelo NIAID, intitulado “Membrane Organization in Cell Signaling and Adhesion”, financiado em 2004-2010. Através deste treinamento e interações com diferentes mentores, desenvolvi um interesse em proteínas de sinalização celular, como integrinas, receptores acoplados à proteína G e pequenas GTPases. Mais tarde, desenvolvi um interesse em virologia quando recebi treinamento em Biossegurança Laboratorial no nível BSL-3 localmente e no Ramo Médico da Universidade do Texas. Desenvolvi um interesse em usar patógenos BSL-3 inativados e marcados com fluorescência, como hantavírus patogênicos e Sars-CoV-2, como ferramentas para estudar suas interações com receptores e sinalização em um ambiente BSL-2. Também estou interessado em desenvolver ferramentas de ensaio para medir a sinalização celular devido a interações celulares com patógenos.

Áreas de especialidade

1) Regulação de afinidade de integrinas: desenvolvimento de ferramentas para análise em tempo real da conformação e afinidade de integrinas e seu controle por vias de sinalização. Compreensão da funcionalidade da integrina para abordar o novo mecanismo de ativação da integrina associada à infectividade do hantavírus.

2) Sinalização da proteína G: Desenvolvimento de um ensaio patenteado baseado em citometria de fluxo para interrogar a ligação de GTP a pequenas GTPases causadas por vírus ou bactérias. O ensaio é capaz de medir o carregamento de GTP de até 6 alvos simultaneamente e é um ensaio para detecção precoce de infecção bacteriana transmitida pelo sangue associada à sepse.

3) Patogênese das infecções por hantavírus. Casos graves de síndrome cardiopulmonar por hantavírus (HCPS) têm uma taxa de mortalidade de 30-40%. Realizamos um perfil proteômico (eletroforese em gel 2D e espectroscopia de massa) das amostras de plasma de pacientes com HCPS e revelamos pela primeira vez que a mortalidade no HCPS está ligada à expressão desregulada do inibidor de ativação do plasminogênio tipo 1 (PAI-1). Compreender o mecanismo subjacente da regulação positiva do PAI-1 fornecerá os meios para a terapia.

4) Desenvolvimento de ensaio de triagem de alto rendimento para inibidores de pequenas moléculas de infecções virais BSL-3

Gênero

Macho

Idiomas

  • Inglês